Festejando 68 anos, Guaraniaçu vai ouvir muita música e cantar

Festejando 68 anos, Guaraniaçu vai ouvir muita música e cantar

Para comemorar os 68 anos de emancipação de Guaraniaçu, vai ter festa boa. Serão 2 shows nacionais, o do Quarteto Gileade no dia 12 de novembro e de Marcos e Belutti no dia 17 de novembro. Dia 12 será a abertura, dia 17 o encerramento.

E.com recorde de participantes, vai acontecer também o III Canta Guaraniaçu, com mais de R$ 27.000,00 em premiações. 118 intérpretes estarão participando , no Ginásio de Esportes Onofre Garbacheski, nas categorias Gospel, infanto-juvenil, kids mirim, local, popular, sertaneja. Músicas abrilhantadas pela banda APK, de Francisco Beltrão.

O município foi criado pela Lei Estadual: N.º 790 de 14 de novembro de 1951, instalado em 14 de novembro de 1952, desmembrado de Laranjeiras do Sul.

Sobre o nome “Guaraniaçu”, há duas explicações, ambas da língua indígena: 1) da combinação de Guarani e Iguaçu (rios); 2) significa Indio Grande.

História

Texto da Prefeitura

A história de Guaraniaçu começou com a Fundação da Colônia Militar do Iguaçu, hoje Foz do Iguaçu. Dado a fertilidade e inesgotável fonte de riquezas naturais da região, atraiu colonizadores oriundos dos estados de Santa Catarina e Rio Grande do Sul, que dotados de fibra, formaram os primeiros povoados.

Dado o surto de progresso da região, foi traçada uma estrada, de Guarapuava à Foz do Iguaçu, construída em 1917.

Com a construção desta estrada surgiu o primeiro povoado de Guaraniaçu: ROCINHA em 1919, e MATO QUEIMADO 1920.

Esta região foi palco de inúmeros combates entre as tropas legais e evolucionárias que formavam a Célebre Coluna Prestes, no período de 1922/1925.  A passagem dos revolucionários no município de Guaraniaçu , deu-se no Mato Queimado Baixo, Rocinha, Belarmino e Medeiros, na época chamado Monte Medeiros. A linha de fogo era Medeiros e Bormann, onde se abrigavam as forças legais do exército que combatiam os revolucionários, Há vestígios ainda hoje das trincheiras, o cemitério onde os oficiais mortos foram sepultados, e no Museu Histórico Municipal, há objetos da época, tais como: balas de canhões, de fuzil, punhais etc.

A área de terras onde começou a colonização de Guaraniaçu, pertencia a Família Virmond de Guarapuava. Por volta de 1925, ROCINHA e MATO QUEIMADO destacavam-se graças aos trabalhos de seus moradores, e em 1926, na Rocinha foi instalado o primeiro estabelecimento Comercial de propriedade do Sr. Antonio Pacheco Queiroz.

Em 1937, construída a primeira escola pelo Sr. Severino Modesto da Rosa, cujas aulas eram ministradas pelo seu filho Joaquim Modesto da Rosa, primeiro professor de Guaraniaçu.

Mato Queimado e Rocinha disputavam a Prefeitura e a Sede do município, ocasionando na época mortes e confrontos. Com aprovação unânime dos Vereadores da época, foi transferida a sede da Prefeitura, definitivamente onde se encontra até os dias de hoje, com o nome de PLANALTO.

Com sacrifício, sangue, e lutas. Planalto, hoje GUARANIAÇU, iniciou sua luta Cultural, Existencial e Administrativa.

Produção

O Ipardes informa: Guaraniaçu planta soja em 15.600 hectares, trigo em 3.150, milho em 2.200, feijão em 500. Na fruticultura, tem laranja, tangerina, uva. Como cultura permanente, destaque ainda para a erva-mate. Maiores criações são de frangos, bovinos, ovinos e suínos. Produtos de origem animal: leite, ovos, casulos de bicho da seda. Destaque-se que a área territorial do município é das maiores do Estado, com 1.237,129 km2.

Padroeira, festas, atrações

A padroeira é Nossa Senhora de Fátima, que tem festivas homenagens em Maio. Outras festas guaraniaçuenses são da italiana, em junho, a cabocla, em julho.

O município tem belas paisagens rurais, muitas cachoeiras, pesque-pagues. O Centro cultural Caetano Bernardo Fiho é local onde a cultura é estimulada, com apresentações, palestras, mostras.

Prefeito, vice, vereadores

O prefeito atual é Osmário de Lima Portela, sendo vice José Aparecido Gracioso. Os vereadores são: Daniel Douglas de Souza Magalhães, Eliseu Gonçalves Duarte, Odair José Lopes Nery, Vitolor dos Santos Almeida,Olmir Santin, Zilda Maria Mota, Flávio Francisco Rossoni Filho, Marcon de Figueiredo Vollet, Valtair França.  

Please complete the required fields.
Digite seu nome, e-mail e a informação abaixo.