Maringá implanta os primeiros semáforos para ciclistas

Maringá implanta os primeiros semáforos para ciclistas
FOTO – DIVULGAÇÃO (PMM)

(PREFEITURA DE MARINGÁ)

Com a elaboração do primeiro Plano de Mobilidade Urbana (PlanMob) de Maringá, a gestão municipal já coloca em prática projetos e adequações indicadas no documento. A Prefeitura, por meio da Secretaria de Mobilidade Urbana (Semob), investe em melhorias de micromobilidade, conceito que se refere ao deslocamento de veículos leves para distâncias curtas. Entre as melhorias está a instalação dos dois primeiros semáforos para ciclistas na cidade, na esquina da Avenida Pedro Taques com a Avenida Bento Munhoz da Rocha Neto. 

Além do equipamento específico para ciclistas, o município realizou a instalação de semáforos de pedestres, sinalização tátil e o prolongamento do canteiro central para a criação de áreas de segurança aos pedestres. Para melhorar a fluidez, diminuir o número de acidentes e permitir o tráfego dos ciclistas, a conversão para esquerda na Avenida Bento Munhoz da Rocha Neto, em ambos sentidos da Avenida Pedro Taques, foi proibida. O cruzamento é o terceiro com o maior número de acidentes. Confira no anexo abaixo quais deslocamentos podem ser feitos na região.  

As melhorias, implementadas em fase de testes no cruzamento, foram indicadas no PlanMob. Outros cruzamentos, como das avenidas Pedro Taques e Horácio Raccanello e das avenidas Pedro Taques com Mauá, também devem receber melhorias, incluindo semáforos para ciclistas.  

“Os projetos de micromobilidade são desdobramentos do PlanMob que apontava, ainda nas pesquisas e audiências públicas, o uso crescente da bicicleta e outros veículos leves pelos maringaenses para atividades diversas. Neste ano, as melhorias voltadas para esse conceito de mobilidade serão ampliadas”, afirma o secretário de Mobilidade Urbana, Gilberto Purpur. A bicicleta em Maringá, por exemplo, é responsável por 6% dos deslocamentos, o dobro da média nacional.

Os dados levantados durante a elaboração do PlanMob mostram que o trabalho é a principal razão para locomoção com as bikes, sendo responsável por 52% dos 37,2 mil deslocamentos ′origem-destino′ registrados. Na sequência, aparece o deslocamento para escola, com 34%; compras e lazer com 5%; e diversos com 8%. A média de viagem é de 35 minutos, sendo que 41% levam entre 16 e 30 minutos para percorrer o trajeto.

Atualmente, são 43 km de ciclovias na cidade e a meta é chegar a 50 km até 2024. A próxima ciclovia, com 750 metros de extensão, será construída na Avenida Mário Clapier Urbinati, no Jardim Universitário. A expectativa é que as obras comecem em fevereiro deste ano. A ciclovia, que vai fazer parte de um quadrilátero ao ligar outras ciclovias existentes e bairros distantes, vai facilitar a locomoção da população.

O secretário destaca que, além das melhorias, o município segue com foco nas ações de educação para prevenção de acidentes. “Temos uma atuação intensa com diversas ações de conscientização no trânsito e vamos ampliar essa agenda neste ano com novas campanhas e formação, incluindo atividades com crianças nas escolas da rede municipal”, afirma Gilberto Purpur.

Please complete the required fields.
Digite seu nome, e-mail e a informação abaixo.